Hipercolesterolemia: precisamos falar sobre isso.

como previnir hipercolesterolemia estima nutrição

O Que É Hipercolesterolemia?

A hipercolesterolemia, também chamada popularmente de colesterol alto, é um grande problema para a população no mundo inteiro, incluindo o Brasil. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, ela afeta especialmente pessoas acima dos 45 anos, mas atualmente, com o estilo de vida e alimentação inadequados, esse quadro tem ocorrido cada vez mais cedo, inclusive em crianças.

É uma doença silenciosa, já que não apresenta sintomas, e ao longo do tempo, podem trazer complicações graves, sendo que as taxas de colesterol acima de 200 mg/dl são caracterizadas como hipercolesterolemia.

Para Que Serve o Colesterol?

O colesterol tem funções importantes no nosso organismo, como a produção de hormônios, formação e na manutenção da integridade das nossas células, incluindo as células neurológicas, além de ser precursor da produção de sais biliares, importantes na digestão, e produção de vitamina D. Existem 2 tipos de colesterol, o chamado “colesterol bom” sendo o HDL, que retira as placas de gordura das artérias, e o “colesterol ruim” o LDL, que leva o colesterol para os órgãos para que as células e os órgãos possam utilizá-lo. No entanto, ao transportar o colesterol há a deposição nas artérias, e seu acúmulo forma placas.

As placas prejudicam o fluxo sanguíneo, e podem com o tempo, promover o aumento da pressão arterial, levando a uma série de complicações como o infarto, acidente vascular cerebral, isquemia e outras doenças do coração. Por isso é necessário um controle dessas frações, HDL e LDL para que haja mais colesterol bom e mais colesterol ruim, exatamente para permitir que o colesterol chegue aos tecidos, mas não seja depositado nas artérias.

Como Manter o HDL Alto e Diminuir o LDL?

Uma dieta equilibrada e a prática de atividade física é fundamental. Melhorar o condicionamento físico, fortalecer os músculos do coração e diminuir o LDL (“colesterol ruim”) enquanto aumenta o HDL (“colesterol bom”), são apenas algumas das vantagens de praticar atividade física regularmente.

Além disso, a alimentação tem papel fundamental na diminuição do colesterol elevado. Os alimentos ricos em colesterol são aqueles de origem animal, como carnes, leite e derivados.

Compartilhamos 6 dicas para você seguir no seu dia a dia e não esquecer:

1. Reduza o consumo de alimentos de origem animal (creme de leite, queijos amarelos, carne vermelha, embutidos, leite integral);

2. Dê preferência para trocar carnes brancas (frango sem pele, peito de frango e peixe);

3. Inclua diariamente na rotina alimentar: abacate, azeite de oliva e as oleaginosas (castanhas, amêndoas, nozes, amendoins), já que aumentam os níveis de HDL por serem fontes de gordura “do bem”;

4. Mantenha uma alimentação rica em fibras, frutas e vegetais, além de grãos integrais, como a aveia, por exemplo;

5. Evite alimentos ricos em açúcares;

6. Consuma Ômega-3 em forma de alimentos ou suplementos alimentares.

Em resumo, para prevenir o quadro de hipercolesterolemia, faça exames periodicamente, mantenha uma dieta equilibrada e pratique atividade física regularmente. Indivíduos que já apresentam essa patologia, além de seguir as recomendações acima, o uso de fitoterápicos e suplementos alimentares podem ser importantes aliados no tratamento contra o colesterol alto.

Consulte seu médico e nutricionista!

Referências:

BATISTA, Maria da Conceição Rosado; FRANCESCHINI, Sylvia do Carmo Castro. Impacto da atenção nutricional na redução dos níveis de colesterol sérico de pacientes atendidos em serviços públicos de saúde. Arq Bras Cardiol, v. 80, n. 2, p. 162-6, 2003.

CORONELLI, Cleunice Luzia Smania; MOURA, Erly Catarina de. Hipercolesterolemia em escolares e seus fatores de risco. Revista de Saúde Pública, v. 37, p. 24-31, 2003.

DA SILVA, Patrícia Correa; TORRES, Fernanda. Hipercolesterolemia e o desenvolvimento da aterosclerose: revisão de literatura. Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, v. 6, n. 1, p. 48-58, 2015.

GONÇALVES, E. C. A. et al. Baixos níveis de atividade física em servidores públicos do sul do Brasil: associação com fatores sociodemográficos, hipercolesterolemia e diabetes. Revista Andaluza de Medicina del Deporte, v. 10, n. 2, p. 54-59, 2017.

PEREIRA, A. C. et al. I Diretriz brasileira de hipercolesterolemia familiar (HF). Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 99, n. 2, p. 1-28, 2012.

PEREZ, Margie Yanelis Mustelier. Plano de Intervenção para Redução de Hipercolesterolemia em Pacientes obesos na ESF. 2017.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!