Por conterem nutrientes como vitaminas e minerais, essenciais para o desenvolvimento, regulação e manutenção da nossa saúde e do nosso bem-estar, as frutas, verduras e legumes fazem parte do grupo de alimentos indispensáveis no nosso dia a dia. Mas isso você já sabe, não é?

Além das frutas, verduras e legumes.

No entanto, outros grupos alimentares devem ser olhados com a mesma importância, já que podem melhorar ainda mais a nossa qualidade de vida e diminuir o risco de desenvolvermos diversas doenças, ligadas ao envelhecimento, ao sistema digestivo e ao sistema nervoso. 

Pequenas modificações e inclusões na nossa dieta, deixam nosso cardápio mais variado, mais gostoso, mais nutritivo e mais saudável. 

Confira agora os 6 grupos alimentares que não podem ser deixados de lado na sua alimentação.

Integrais

Os alimentos integrais são fontes de fibras que ajudam no funcionamento do intestino, na redução das taxas de colesterol e melhoram a saúde do coração. Aposte na aveia, farelos, arroz e massas integrais, quinoa, centeio, chia e linhaça. 

Antioxidantes

Os antioxidantes protegem o coração, previnem o envelhecimento, ajudam o sistema imune e diminuem a pressão arterial, as taxas de colesterol e o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, musculares, ósseas e do metabolismo.

As frutas vermelhas, como o morango, mirtilo, ameixa, amora, framboesa e as frutas cítricas, como limão, laranja, tangerina, acerola e abacaxi são poderosas fontes de antioxidantes celulares. 

Oleaginosas

Alimentos como castanhas, amêndoas, macadâmia e, principalmente, as nozes. Possuem alta concentração de antioxidantes, ômega 3 e 6, fibras e selênio. Dentre seus benefícios, estão a diminuição do desenvolvimento de doenças cardíacas, metabólicas e neurológicas. Além disso, seus componentes ajudam na melhora do aprendizado e da memória. 

Alimentos ricos em vitamina D

 A vitamina D é essencial para a saúde dos ossos, para a resposta do nosso sistema imune e para a saúde cerebral, prevenindo o desenvolvimento e agravamento de doenças que atacam o sistema imune e outras comorbidades, como diabetes, esclerose múltipla e depressão.

Encontramos a vitamina D em abundantemente em: fígado, peixe, ovo, leite, queijo e frutos-do-mar como salmão, sardinha e mariscos.  

Vegetais verdes escuros

São ricos em diversas vitaminas como, A, C e K, minerais, fibras e antioxidantes.

Ajudam na regulação do intestino, na prevenção do envelhecimento, na coagulação do sangue e na cicatrização de feridas.

Além disso, têm se mostrado importantes na diminuição da depressão, melhora da saciedade e possuem como benefício a diminuição no consumo de doces. Exemplos desses alimentos são: couve, rúcula, espinafre, agrião, brócolis, escarola e mostarda.

Alimentos ricos em ferro e ácido fólico

O ferro e o ácido fólico são importantes na oxigenação do corpo, na prevenção de anemia, no crescimento saudável, na melhora do aprendizado, memória e cognição e na melhora do funcionamento do sistema imune.

Peixes, carnes, gema de ovo, beterraba e frutas secas são alimentos fonte desses minerais.

Referências:

ARSLAN, Jamshed et al. Edible Nuts for Memory. Current Pharmaceutical Design, 2020.

BALK, Ethan M. et al. Vitamin B6, B12, and folic acid supplementation and cognitive function: a systematic review of randomized trials. Archives of internal medicine, v. 167, n. 1, p. 21-30, 2007.

BERK, Lee et al. Nuts and brain health: Nuts increase EEG power spectral density (μV& [sup2]) for delta frequency (1–3Hz) and Gamma Frequency (31–40 Hz) associated with deep meditation, empathy, healing, as well as neural synchronization, enhanced cognitive processing, recall, and memory all beneficial for brain health. The FASEB Journal, v. 31, p. 636.24-636.24, 2017.

DAS, Undurti N. Folic acid and polyunsaturated fatty acids improve cognitive function and prevent depression, dementia, and Alzheimer’s disease—but how and why?. Prostaglandins, leukotrienes and essential fatty acids, v. 78, n. 1, p. 11-19, 2008.

HORVATH, Jaqueline Driemeyer Correia et al. Consumo de mix de fibras (solúvel e insolúvel) e avaliação da saciedade pós-prandial: ensaio clínico randomizado controlado. Rev Bras Nutr Clin, v. 30, n. 2, p. 131-5, 2015.

JOHNSON, Mary Ann. Influence of vitamin K on anticoagulant therapy depends on vitamin K status and the source and chemical forms of vitamin K. Nutrition reviews, v. 63, n. 3, p. 91-97, 2005.

MELLO, Vanessa D. de; LAAKSONEN, David E. Fibras na dieta: tendências atuais e benefícios à saúde na síndrome metabólica e no diabetes melito tipo 2. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, v. 53, n. 5, p. 509-518, 2009.

MURRAY-KOLB, Laura E.; BEARD, John L. Iron treatment normalizes cognitive functioning in young women. The American journal of clinical nutrition, v. 85, n. 3, p. 778-787, 2007.

PARKER, Gordon B.; BROTCHIE, Heather; GRAHAM, Rebecca K. Vitamin D and depression. Journal of affective disorders, v. 208, p. 56-61, 2017. ARANOW, Cynthia. Vitamin D and the immune system. Journal of investigative medicine, v. 59, n. 6, p. 881-886, 2011.

PITTAS, Anastassios G.; DAWSON-HUGHES, Bess. Vitamin D and diabetes. The Journal of steroid biochemistry and molecular biology, v. 121, n. 1-2, p. 425-429, 2010.

SILVA, Marília Lordêlo Cardoso et al. Compostos fenólicos, carotenóides e atividade antioxidante em produtos vegetais. Semina: Ciências Agrárias, v. 31, n. 3, p. 669-681, 2010.

STENBLOM, Eva-Lena et al. Consumption of thylakoid-rich spinach extract reduces hunger, increases satiety and reduces cravings for palatable food in overweight women. Appetite, v. 91, p. 209-219, 2015.

VIVIAN¹, PATRÍCIA GOMES; FERRI, VALDECIR CARLOS. Alimentos ricos em antioxidantes e seus benefícios a saúde humana. 2013.

WANG, Bo et al. Iron therapy for improving psychomotor development and cognitive function in children under the age of three with iron deficiency anaemia. Cochrane Database of Systematic Reviews, n. 6, 2013.

XIANG, Lan et al. Mixture of peanut skin extract and fish oil improves memory in mice via modulation of anti-oxidative stress and regulation of BDNF/ERK/CREB signaling pathways. Nutrients, v. 8, n. 5, p. 256, 2016.

 

Secured By miniOrange