Nesse dia de 1º de abril, resolvemos desvendar 5 dessas grandes mentiras que você ouve por aí:

  1. Dieta restritiva funciona: pode até funcionar por um curto período. Mas a longo prazo você não vai conseguir se privar de tudo. Estudos mostram que dietas super restritivas e a crença de que existem alimentos proibidos só fazem aumentar a compulsão alimentar e o desenvolvimento de transtornos. Você pode consumir tudo o que desejar, o segredo é a quantidade e a qualidade do que você consome. Para isso, consulte seu nutricionista para te ajudar no processo de emagrecimento, sem perder o prazer em se alimentar.
  2. Só o peso da balança importa: quando verificamos nosso peso na balança, não há distinção de massa magra ou gordura. O que realmente importa é o percentual de gordura, que em quantidades acima do normal, são extremamente prejudiciais ao organismo e elevam o risco de desenvolver doenças como diabetes e doenças do coração. Além disso, se você perder muito líquido através do suor, parecerá que perdeu peso, quando, na verdade, só desidratou. Outro fato importante é que pesar-se a todo instante pode gerar maior ansiedade e fazer com que você coma ainda mais. Valorize a sua composição corporal e não se prenda somente ao peso.
  3. Emagrecimento rápido é um emagrecimento saudável: quando perdemos peso rapidamente, há um prejuízo para o nosso sistema imune, que fica debilitado, o que faz com que tenhamos mais chances de desenvolver infecções e outros problemas de saúde. Além disso, ingerir calorias e nutrientes abaixo do mínimo necessário pode causar dores de cabeça, tontura, fraqueza e mau humor. Há também uma redução significativa tanto da massa gorda quanto da massa muscular e alterações hormonais que podem prejudicar o crescimento, o fluxo sanguíneo renal e da força, havendo diminuição da testosterona e perda de vitaminas e minerais essenciais. Emagrecer requer uma mudança no estilo de vida e isso demanda tempo e constância.
  4. Precisa tirar carboidratos para emagrecer: A principal fonte de energia do nosso cérebro são os carboidratos. Sem ele funcionando adequadamente, não conseguimos desenvolver nossas funções corporais adequadamente. Além disso, pode causar maior fome e problemas intestinais, já que as fibras contidas nos carboidratos são importantes para manter o bom funcionamento do nosso intestino e controle do apetite. A retirada de carboidratos também pode aumentar dores de cabeça, ansiedade, falta de disposição e até mesmo perda muscular e diminuição da imunidade. O que você precisa evitar são os carboidratos simples, como os açúcares, bebidas açucaradas e doces, valorizando os carboidratos complexos presentes nos vegetais e alimentos integrais. E claro, tudo em proporções adequadas para você.
  5. É possível emagrecer sem manter uma rotina de exercícios: os exercícios físicos são ótimos aliados no emagrecimento. Estudos mostram que as dietas são mais efetivas quando aliadas à atividade física. Além de acelerar o metabolismo e fazer você acelerar a queima de gordura, a atividade física diminui a ansiedade e a vontade de comer, pois libera hormônios do prazer e bem-estar.

Lembre-se, emagrecer requer uma mudança no estilo de vida e o seu comprometimento em fazer da sua vida melhor e com mais qualidade. Restrições, cobranças extremas e rapidez nunca são boas opções e podem comprometer sua saúde drasticamente. Conquistar o corpo dos sonhos pode ser importante, mas sua saúde é em primeiro lugar!

Referências:

ANTONOW, Ricardo Augusto da Silva. Perfil nutricional das atletas da Seleção Feminina da Liga Brasileira de Hóquei in line.

ARTIOLI, Guilherme Giannini; FRANCHINI, Emerson; LANCHA JUNIOR, Antonio Hebert. Perda de peso em esportes de combate de domínio: revisão e recomendações aplicadas. Rev. bras. cineantropom. desempenho hum, 2006.

BERNAUD, Fernanda Sarmento Rolla; RODRIGUES, Ticiana C. Fibra alimentar: ingestão adequada e efeitos sobre a saúde do metabolismo. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, v. 57, p. 397-405, 2013.

DOS SANTOS, Júniar Batista; DOS SANTOS, Amanda Alves; DO NASCIMENTO, Marcus Vinícios Santos. BENEFÍCIO DAS FIBRAS ALIMENTARES NA SAÚDE. Semana de Pesquisa e Extensão da Universidade Tiradentes-SEMPESq-SEMEX, n. 16, 2014.

JOB, Alessandra Rocha; DE OLIVEIRA SOARES, Ana Cristina. Percepà § ã o dos acadêmicos de Nutrià § ã o sobre a efetividade a longo prazo dos mé todos de dietas restritivas para a perda e o controle de peso. RBONE-Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, v. 13, n. 78, p. 291-298, 2019.

KLOSTER, Roberta; FIAMONCINI, Rafaela Liberali. Emagrecimento: composição da dieta e exercício físico. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, v. 2, n. 11, p. 1, 2008.

KLOSTER, Roberta; LIBERALI, Rafaela. Slimming: diet composition and physical exercise/Emagrecimento: composicao da dieta e exercicio fisico. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, v. 2, n. 11, p. 288-307, 2008.

MADSEN, Bjørn Falck; AFONSO, Carla. Perca Peso.

MAZZOCCANTE, Rafaello Pinheiro et al. Comparação da prevalência de métodos de perda de peso pré-competição em judocas de diferentes categorias. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 38, p. 297-302, 2016.

POMIN, Vitor Hugo; MOURÃO, P. A. S. Carboidratos. Ciência Hoje, v. 35, n. 233, p. 24-35, 2006.

SILVA, Fellipe Zanata da. Alimentação, exercícios físicos, jejum e saúde no âmbito Escolar. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso.

SOUTO, Silvana; FERRO-BUCHER, Júlia Sursis Nobre. Práticas indiscriminadas de dietas de emagrecimento e o desenvolvimento de transtornos alimentares. Revista de Nutrição, v. 19, n. 6, p. 693-704, 2006.

Secured By miniOrange