Qual o melhor sal

Qual melhor sal

Saiba qual é o melhor sal e a quantidade ideal

O sal é fundamental para a saúde humana, além de temperar as preparações, ele também é fonte de sódio, iodo e outros minerais, que são necessários em pequenas quantidades.

O sódio é encontrado no sal de cozinha na forma de cloreto de sódio, um dos principais responsáveis pelo transporte de nutrientes e oxigênio, transmissão de impulsos nervosos e até movimentos musculares.

No entanto, seu excesso pode provocar o aumento da pressão arterial, retenção de líquido, pode comprometer o funcionamento dos rins e suas complicações podem levar a doenças cardiovasculares como o Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Já o iodo é um nutriente acrescentado ao sal desde a década de 70 para prevenir sua carência, que era muito comum antigamente. É essencial para a síntese dos hormônios da tireoide que, entre outras funções, regulam o crescimento e o desenvolvimento físico e mental.

Podemos encontrar diversos tipos de sal nos supermercados.

Dentre eles temos: sal marinho, sal refinado, sal grosso, sal rosa do Himalaia, sal negro (indiano e havaiano), sal vermelho, salMaldon, flor de sal, sal líquido e sallight.

  1. Sal marinho:

    É um tipo de sal extraído do mar, obtido pela evaporação da água do mar em salinas, e não passa por processos de refinamento tão extensos, preservando suas características.
  2. Sal refinado:

    Principal fonte de sódio da alimentação. Ele passa por um processo de refinamento que a maioria dos nutrientes presentes se perde, ficando somente sódio e cloro.
  3. Sal grosso:

    É o estágio anterior do sal refinado. Como tem granulação mais grossa, evita o ressecamento dos alimentos, sendo o mais usado em churrascos e temperos.
  4. Sal rosa do Himalaia:

    Extraído das minas de Khewra, no Paquistão. Este tipo de sal não passa por processos de refinamento. É muito conhecido por ter menos sódio em comparação ao sal marinho, no entanto, ele contém quantidades similares. Deve-se ficar atento ao comprar sal rosa fraudado. Para isso coloque em um copo com água e se a coloração rosa sair na água, é a garantia de que é um alimento falso.
  5. Sal negro (indiano e havaiano):

    De origem vulcânica, apresenta uma cor acinzentada. Além do cloreto de sódio, também é composto por cloreto de potássio e ferro. A característica marcante é a presença de enxofre. Possui um gosto sulfuroso com aroma muito similar à gema do ovo. O sal negro indiano é também conhecido como KalaNamak.
  6. Sal vermelho:

    Sal havaiano (Alaeasalt) — avermelhado por conta da Alaea (argila rica em dióxido de ferro), tem sabor suave.
  7. Sal Maldon:

    Produzido no mar da Inglaterra desde a Idade Média, é uma flor de sal com formato piramidal.
  8. Flor de sal:

    Obtido da evaporação de água do mar, pela ação do calor do sol e da energia do vento. Forma grãos crocantes e translúcidos, possui minerais como magnésio, iodo e potássio. A flor de sal mais famosa é da região de Guèrande, na França.
  9. Sal líquido:

    Ele é conhecido por ser altamente puro e dissolvido em água mineral.
  10. Sal light:

    Obtido a partir da mistura de 50% de cloreto de sódio e 50% de cloreto de potássio, o que lhe confere menor teor de sódio. Seu uso é indicado para pessoas que possuem restrição ao consumo de sódio, porém pessoas com doenças renais não devem consumi-lo, pois, a presença de potássio pode acarretar complicações cardiovasculares.

Quantidade Recomendada de Sal/Sódio

Segundo a OMS, a ingestão recomendada de sódio são 2 gramas por dia, equivalente a 5 gramas de sal. O brasileiro consome praticamente o dobro disso, variando entre 8,5 a 15 gramas por pessoa.

Uma boa ideia para diminuir esse exagero é tirar o saleiro da mesa, adicionar ervas aromáticas e outros temperos como cebola, cebolinha, alho, alecrim, tomilho, salsinha e manjericão para dar mais sabor aos alimentos e, assim, não precisar pesar a mão no sal na hora de cozinhar. A vantagem é que o alimento fica mais saboroso, sem necessidade de usar tanto sal na comida.

Além disso, evite consumir alimentos ultraprocessados, já que contém sódio em sua composição e aumentam muito a taxa de sal consumida no dia sem que a gente perceba.

Leia sempre o rótulo e se habitue a verificar quanto de sódio a tabela nutricional traz como informação. Quanto menos sódio, melhor.

Referências:

DE ALMEIDA, Mafalda Rodrigues. Qual é o melhor tipo de sal?.

DE BASTOS, Anne Borges et al. Análise e comparação da composição química inorgânica do sal de cozinha com o sal rosa do Himalaia pelo método de fluorescência de raios-x por dispersão de ondas. The Journal of Engineering And Exact Sciences, v. 3, n. 4, p. 0678-0687, 2017.

Food Research Center (FORC). USP. Quantidade de sódio presente nos sais “integrais” não difere muito da contida no sal refinado

GALIOTTO, Giovana et al. Composição mineral de diferentes tipos de sais de cozinha. DEMETRA: Alimentação, Nutrição & Saúde, v. 15, p. 51430, 2020.

LUCENA, Karla Camilla Lins et al. Avaliação do Teor de Iodo em Diferentes Sais de Cozinha no Distrito Federal (DF). Revista de Iniciação Científica e Extensão, v. 2, n. Esp. 1, p. 40-40, 2019.

RIBEIRO, Larissa Cardoso. Avaliação de sais comerciais do tipo sal rosa do himalaia.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!